A chuva cai sobre o chão lá fora, mundo afora
Sons encantadores eu ouço agora
De leve a me surpreender sua voz me afaga
De belas palavras a lindos toques recordados
Saudade, que falta me faz
Três anos já faz e eu por dentro morro pela ausência
E o abraço que eu ainda espero?
Cadê minha vida? Vejo apenas você
Minha doce ilusão de realidade
Minha doce vida em morte
Como te quero e espero
Cadê você? Cegaram-me
Sinto as lagrimas e não posso para-lás
Oh, querido sangue que de dor escorre do coração
Mataram-me. E você nem sequer apareceu para me salvar
Cadê você que há muito a morte o levou
Cadê o amor que nos salvaria
Minha saudade é agora um abraço divino
Nunca te vi tão lindo
Deslumbrante
Abraço-te forte abraça-me ainda mais
Correndo em nuvens
Voando entre estrelas
Imortais nós
Que lindo poder ver-te novamente
Serenamente de perto
Mais e mais penso, quero
Cadê você? Devolveram-me a visão
Posso ver nossas fotos
As mais belas lembranças de amor
Ah, amor, por quê?
Havia de ser você?
Por que eu, eu que queria tanto você e não ter-te em braços?
Oh, Deus, por que o amaste e o levaste de mim pra tão perto de ti?
Encontro-me nos melhores lugares de nossas vidas
Recordando-me daqueles todos momentos juntos
Por que foram tão rápidos? São tão silenciosos e tristes, pois, você não está aqui
A lua vem a mim
Posso vê-la do alto da ponte. Aquela ponte que costumávamos sentar
A água entra em minha garganta, congela meus sentidos, enfia-se em meus ouvidos
Já não vejo nada.
Antes que possa abrir meus olhos posso sentir aquela mão que me abraçava nas noites
Sinto e como amo esse afago, só nós sabemos
Posso amar-te enlouquecidamente novamente
Posso ter-te os dias todos, estamos na eternidade.


Autoria: Carine Ueda

A Morte que Me Matou

Comentários

Mensagens no seu e-mail

Trilha Sonora

Mensagens Relevantes