Quando a paixão toma conta do coração, a pessoa tem a ilusão de que encontrou a sua metade.

É por isso que, quando se vive uma paixão, cada um tem a sensação de completitude, de integração, de poder até compartilhar o sonho.

Esse é o grande "nó" das relações de paixão: atribuir a felicidade ao outro, acreditar que o amor faz parte do outro.

É o contrário. A pessoa a quem se ama não pode ser responsável pela felicidade da outra, mas co-autora dessa história.

Outro empecilho para a vivência de uma paixão, é a expectativa diferente que homens e mulheres possuem desse estado de entrega.

A mulher apaixonada tem a coragem de viver mais intensamente este estado de ilusão.

Mas por que ilusão, se cada um fica feliz e satisfeito? Porque essa emoção, não se mantém por muito tempo.

E isso ocorre porque a paixão é diferente do amor.

O que temos de entender é o que há por trás disso tudo.

As pessoas estão atrás da necessidade de carinho, atenção, aprovação, cuidado, proteção . É como se o outro fosse preencher o vazio que ela tem.

Muitas vezes até preenche, mas não de forma verdadeira e duradoura, apesar de ser intenso durante a fase da paixão.

A paixão só pode ser integradora se a pessoa percebe que o gostar está em si, não no outro.

Podemos dizer, até, que este é o caminho para o amor: "Não posso amar o outro se não gosto de mim..."

É preciso, primeiro, procurar esse amor no fundo de si mesmo. É preciso, primeiro, amadurecer para construir o amor em que haja compreensão, troca e cumplicidade.

E a partir daí, cuide da forma. Do jeito, do gesto.

Cuide do cuidado. Cuide do carinho, com carinho.

Cuide de você. Ame-se para ser capaz de gostar do próprio amor, pois só assim você será capaz de ser feliz e fazer seu amor feliz.

Gostar de Si Mesmo Abre o Caminho para o Amor

Comentários

Mensagens Relevantes