Para você eu posso ser o bandido
Já se passou tanto tempo
Não me importo mais
Ainda lembro de seu rosto
Seu sorriso é o que mais dói
Tudo que eu quis
Era dizer que sinto
Mais do que pode imaginar
E, se no tempo pudesse voltar
Não faria, iria lhe avisar
Mas com certeza
Em mim não iria acreditar
Pois somente enxergamos a verdade
Quando ela tem algo a mostrar
E quem sou eu perto de quem domina seu coração?
Quais palavras teria mais nexo
O inverno ou verão?
Seria eu o novo inverso
Qual seria minha condenação?
Mas agora não importa mais
A ferida que o tempo alimentou
O pobre coração tomou
Os olhos se fecharam
E a verdade nua crua passou desapercebida
Como uma pomba ferida
E você dançou conforme a canção
Nos devaneios de um coração
Você entregou tua imensidão
E não ache que um dia lhe desvalorizei
Para conquistar aquilo que dado, eu ganhei
Não bastou muito para aventurar-me em sua floresta
Bastou um “oi” para poder beijar a testa
E não fiz muitos esforços, foi entregue na mentira
Fazias parte do passado e eu era o novo presente
Você pode ter dito o prazer de ver minhas frases tolas rasgadas
Entretanto, as palavras que escrevo sulcam o coração
E o mesmo livro dedicado, eu tenho em mãos
Mas não era o tal autor,
Como me disseram
O meu amor fez nascer mais um escritor
Mas seja como for
Toda história tem mais de um ator
E não quis lhe contar, para salvar este mesmo amor
Que no passado lhe condenou a dor.

Uma história com final alternativo

Comentários

Mensagens no seu e-mail

Trilha Sonora

Textos Relevantes