Soneto de Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento

Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto

Que mesmo em face do maior encanto

Dele se encante mais meu pensamento.



Quero vivê-lo em cada vão momento

E em seu louvor hei de espalhar meu canto

E rir meu riso e derramar meu pranto

Ao seu pesar ou seu contentamento



E assim, quando mais tarde me procure

Quem sabe a morte, angústia de quem vive

Quem sabe a solidão, fim de quem ama



Eu possa me dizer do amor (que tive):

Que não seja imortal, posto que é chama

Mas que seja infinito enquanto dure.



+ Mensagens:

Autor(a) da mensagem: Vinicius de Moraes - Mensagem lida 162864 vezes.

Categoria dessa mensagem: Mensagens de Amor


Comentários:





Ouvindo agora: Berlin - Take my breath away
 

Francis Bacon
O livro é um alimento. Alguns são provados, outros, devorados, mas pouquíssimos mastigados e digeridos.


 
Parte do conteúdo do site é retirado da internet e/ou enviado por leitores.
Caso algum texto infrinja direitos autorais entre em contato que adicionaremos crédito ou retiraremos a mensagem.
© 2007-2015 PaixaoeAmor.com - Todos direitos reservados